A popularização do “gourmet”

Gourmet, segundo o dicionário,  é o nome que se dá a uma cozinha ou produto alimentar (incluindo bebidas) que estejam associados à ideia de haute cuisine ou alta cozinha, evocando assim um ideal cultural, associado com as artes culinárias. Assim um vinho ou um restaurante diz-se gourmet quando este é de alta qualidade e está reservado a paladares mais avançados e a experiências gastronômicas mais elaboradas. Por consequência os produtos e/ou refeições gourmet são normalmente mais caras que os seus equivalentes não gourmet. A palavra gourmet tem ascendência francesa e o seu significado original designava os bons apreciadores de vinho, os verdadeiros conhecedores. Atualmente já faz parte do vocabulário português e alargou o seu âmbito a tudo o que se relaciona com os prazeres da mesa, sempre na perspectiva da autenticidade e da qualidade.

O que já cansei de ver Brasil afora são os ditos “produtos gourmet”, que na verdade só incluíram a palavra para aumentar as vendas. Não adianta querer vender um produto de baixa qualidade ou qualidade mediana como gourmet PORQUE NÃO É!

O mais popular atualmente são os brigadeiros. Um doce que nasceu dentro das casas das pessoas de antigamente e adquiriu um padrão gourmet, pois todos os ingredientes (ou quase todos) foram adaptados à melhor qualidade que existe hoje em dia. O problema é que todo e qualquer brigadeiro agora virou um brigadeiro gourmet. Mesmo que ele não seja um.

Infelizmente essa popularização acaba por rebaixar os verdadeiros produtos gourmets (desculpem por usar tanto essa palavra, mas não há um sinônimo para ser colocado) e, consequentemente, abaixa também a qualidade, pois não sabemos agora quais produtos são verdadeiramente feitos com material de primeira qualidade, aplicando técnica e anos de estudos.

Portanto, cuidado ao comprar um produto “gourmet” hoje em dia!!