O melhor “trabalho” do mundo

Confesso que lembro da primeira vez que fiz um bolo. Tinha cerca de cinco anos e minhas tias me colocaram um avental que cobria até a ponta dos meus pés, uma touquinha de cozinheiro e me colocaram em pé, em cima de uma cadeira pra poder alcançar a bancada. Farinha voando para todos os lados, chocolate na minha cara, casca de ovo grudada na touquinha e uma baita sujeira no chão da cozinha da casa da minha avó! Tudo era diversão e nunca esqueci desse momento.

Cresci, estudei muito, estagiei de graça em vários lugares, passei várias noites sem durmir e confesso que cheguei em um momento da minha vida em que realmente descobri o que quero fazer o resto da minha vida. Consegui aliar um hobby e um trabalho ao mesmo tempo. Cozinhar para mim, seja doce ou salgado, se tornou uma diversão!

Fico muito orgulhoso em ter descoberto isso com 22 anos, afinal têm pessoas com 40 anos que seguem a mesma rotina há tempos  e realmente ainda não sabem o que querem fazer da vida. “Mas essas pessoas já trabalham com isso faz tempo!”, mas será que realmente se divertem no trabalho? Será que se precisassem trabalhar de graça fariam com a mesma vontade e empenho de estar ganhando um salário?

Talvez seja esse o principal motivo de profissionais infelizes em empresas, que acabam saindo de suas casas todos os dias para a “labuta”, para o “dever”. A partir do momento em que as pessoas conseguirem pensar mais com o coração e ver quanto tempo estão desperdiçando em suas vidas e tomarem a coragem de seguir seus próprios sonhos, o mundo ficará menos estressado, mais ameno e mais feliz!

Cozinhar é minha vida, minha diversão, minha forma de me expressar. Faço amigos, ganho experiências, provo coisas que até Deus duvida, impressiono meus amigos e quem eu gosto… e posso dizer em voz alta: tenho o melhor trabalho do mundo!

holder-cesaryukio